quarta-feira, 7 de julho de 2010

Começam hoje as corridas de touro mais famosas da Espanha


Milhares de pessoas na Espanha se vestem hoje de vermelho e branco. E não é (só) por causa do jogo de sua seleção, mas pelo início das festas de San Fermin, em Pamplona, aquela das famosas corridas de touros, que são soltos em ruas estreitas com multidões.
Até a manhã desta quarta-feira, o saldo da festa é de dois jovens feridos. Eles participavam da primeira sessão das corridas, que é considerada festa de interesse nacional na Espanha mas ganha cada vez mais opositores no país.
Neste ano, as corridas de Pamplona, que são as mais famosas do país e acontecem em "comemoração" ao dia de San Fermin, teve a segurança reforçada para evitar mortes causadas durante o evento, como o que ocorreu no ano passado, quando um espanhol morreu depois de ser corneado por um touro.

Os feridos deste ano, segundo os organizadores da festa, são um espanhol de 20 anos, que sofreu contusão ocular, e um australiano de 18 anos, internado com contusões múltiplas. O hospital de Navarra e da Virgen del Camino, onde estão internados, ainda não divulgou o estado de saúde.
As corridas de touro de Pamplona, que acontecem desta quarta-feira até o próximo dia 14 de julio, são acompanhadas de muitas festas nas ruas da cidade, que atraem milhares de pessoas de todo o mundo.
Muitas delas, segundo a organização do evento, participam da corrida de touros sem preparação e, por isso, acabam feridas. A prefeitura de Pamplona distribuiu este ano uma cartilla com recomendações de segurança, como não participar da corrida embriagado ou sem preparação, não encostar nos touros nem destraí-los com barulho. A cartilha admite que há “mortes ocasionais” na festa – até agora, foram 15.
Mas grupos contrários às corridas, que são cada vez mais numerosos na Espanha, afirmam que as mortes ocorrem por se tratar de uma prática antiquada. A ONG Peta, uma das mais ativas contra o movimento das corridas de touro, chama a tradição de “um resquício brutal de barbárie da sociedade espanhola”. Em um estudo, afirmou que cada família do país gasta em média 47 euros ao ano com impostos destinados a subvencionar festas com touros.

Um comentário:

sol disse...

NÃO SE IMPORTE POR EU TER USADO O NOME DELES PARA CHAMAR EM QUESTÃO OS QUE ORGANIZAM E FAZEM PARTE DESTE EVENDO HORRÍVEL. QUERO VER O FIM DESTES EVENTOS. HÁ VÁRIOS TIPOS DE ESPORTE QUE NÃO PRECISA SACRIFICAR NENHUM TIPO DE ANIMAL.


ALGUÉM QUE FAZER ELES PARAR COM ISSO.