sábado, 27 de novembro de 2010

Zapatero e os 37

A quem recorrer quando já não há novas ideias para sair da crise econômica? Aos maiores empresários do país, naturalmente.
Essa é a nova aposta do presidente espanhol, o socialista José Luis Rodríguez Zapatero, tradicional defensor da separação entre Estado e mercado. Em meio à crise do Euro que ameaça ter na Espanha a próxima vítima, ele se reuniu neste sábado com representantes das 37 maiores empresas do país para discutir soluções para a crise que não mostra sinais de deixar a Espanha tão cedo.
São nomes como Telefónica, Iberia, Santander, BBVA, Inditex (a dona da poderosa loja de roupas Zara), Corte Inglés (a mega cadeia de enormes lojas de departamentos espalhadas pelo país), Repsol, Sol Meliá e a seguradora Mapfre. Juntas, concentram nada menos que 40% do PIB espanhol - algo em torno de 500 milhões de euros. Empregam cerca de um milhão de pessoas, um número nada desprezível em um país com mais de quatro milhões de desempregados.
Foi o primeiro grande encontro de Zapatero - que sempre procurou manter distância do mercado espanhol - com os empresários do país. Na reunião, que durou quatro horas, o presidente prometeu acelerar suas reformas liberais e garantiu estabilidade econômica, em um momento de forte dúvida dos mercados com a economia do país, depois de a Irlanda quase afundar.
O presidente, que passou os últimos dias tentando acalmar os mercados, parece ter encontrado nos empresários sua âncora.

Um comentário:

Anônimo disse...



Here is my homepage: cordyceps